terça-feira, 10 de junho de 2014

O Café de Cada Dia

Uma pesquisa revelou que 94% dos indivíduos maiores de 15 anos bebem café, e 95% desses o consomem diariamente. Entre aqueles que não tomam café, a principal razão apontada é a de que ele pode fazer mal à saúde. 
O estudo também revelou que 13% daqueles que bebem café pretendem reduzir seu consumo, e a razão principal é a preocupação de que o café nossa fazer mal à saúde.


Mito ou realidade ?

Café faz mal ou bem a saúde?
 
Os excessos fazem mal para a saúde?

A relação entre o consumo de café e o risco de doença cardiovascular ainda é tema de muita discussão, pois há estudos que mostram aumento de risco enquanto outros mostram redução.

Algumas pesquisas revelam que o efeito agudo do consumo de café pode ser fator precipitante de eventos vasculares como o infarto do miocárdio, principalmente entre indivíduos com vários fatores de risco vascular e naqueles que não têm o hábito de tomar café.

Um estudo revelou após sete anos de seguimento que o consumo de café maior que três xícaras diárias estiveram associadas a menores índices de calcificação nas artérias coronárias (marcador de aterosclerose), especialmente entre mulheres. Outros estudos em longo prazo como esse têm demonstrado a associação do consumo crônico do café com menores índices de mortalidade por doenças cardiovasculares.

O café contém inúmeras substâncias biologicamente ativas, e é reconhecido como um dos principais agentes antioxidantes da dieta, especialmente por ser consumido em larga escala. Além dos componentes antioxidantes do café, também é de grande relevância para nossa saúde a presença de duas substâncias, o cafestol e o kahweol, que sabidamente estão associadas ao aumento de marcadores de risco vascular como o colesterol e a homocisteína.

O interessante é que tanto o cafestol como o kahweol fica “preso” no coador, sendo muito mais abundantes no café expresso do que no café coado. O consumo regular de café coado tem o poder de reduzir os níveis do colesterol ruim (LDL), sendo que o excesso de café expresso pode aumentar seus níveis.

Outro fator protetor do café sobre nossa saúde vascular é o seu poder de reduzir a resistência à insulina e com isso reduzir o risco de diabetes. O risco de diabetes é menor em indivíduos que consomem 4 a 6 xícaras por dia do que naqueles que bebem menos de 2 xícaras, e o risco é menor ainda entre aqueles que bebem mais de 6-7 xícaras por dia.

Aqui mais uma vez, é no consumo diário e em longo prazo que podemos observar seus benefícios. Além disso, o efeito é independente da cafeína, já que o consumo de café descafeinado confere o mesmo efeito.

No exercício físico.

• Reduz a freqüência cardíaca e percepção de dor muscular em atividade aeróbica

• Retarda a fadiga muscular no exercício aeróbico e anaeróbico
 
por Marcus Petillo

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado pelo seu comentário.